sábado, abril 09, 2011

Movimento "Queremos Tomás Araújo Expulso da ESB"

 Surgiu, no Facebook, um movimento contra o aluno que agrediu um professor no final do mês passado. Conheço pessoalmente o professor e não sei quem é o aluno. Ao JP, toda a minha solidariedade. Quanto ao aluno e seus pais, espero que resolvam os problemas evidentes que, provavelmente, demorarão mais a cicatrizar do que a ferida, física, do João Paulo.

Desaprovo a violência, seja ela qual for. Mas a verdade é que acontece ... E se, os chefes do mundo a promovem, que modelo podem criar os nossos jovens?

Este post não é no sentido do 'faça-se justiça com mão própria'. Nem sei quem é o administrador do tal movimento do Facebook. Pelo que vi,  não se identifica. 

Salvaguardo que me senti muito revoltada com o que aconteceu. Ao ler a descrição do tal movimento, a pessoa fica realmente chocada ... Andamos fartos de violência e a cada caso, aumenta a frustração. Contudo, penso que é triste levantar-se um movimento contra um jovem que provavelmente é mais vítima do que parece... Na verdade, este não é um grupo de apoio ao professor vitimizado nem em favor de uma escola melhor ... É uma acção contra um aluno.

Estarei a ver mal a coisa?

Bom fim de semana para todos, continuação da boa recuperação do João Paulo (grande resistente, pessoa com comportamento exemplar que passei admirar ainda mais!).


Imagem daqui

Sobre:
Queremos o Aluno Tomás Araújo imediatamente EXPULSO da Escola Secundária do Bocage em Setúbal pela agressão ao Professor João Paulo Maia.
Descrição:
Tomás Araújo, aluno do 10º ano da Escola Secundária do Bocage terá há coisa de 2 semanas agredido o professor João Paulo Maia, quando este se preparava para intervir numa briga entre Tomás Araújo e outro aluno, quando inexplicavelmente foi agredido com um soco ao ponto de deixar o professor em causa inconsciente no chão.

Como se não bastasse a criança - entenda-se antes "a pobre criança" pois a idade infelizmente é uma coisa que não é proporcional àquela que aparece no BI - depois de ter derrubado o professor e este se encontrar inconsciente achou-se a VÍTIMA de uma agressão e apressou-se para o posto da polícia para fazer queixa do professor, que SÓ, entenda-se a ironia, se encontrava a ser transportado para o hospital devido a um traumatismo craniano.

A escola simplesmente anda em "averiguações" há já 2 semanas e nada acontece.
Tomás Araújo, a VÍTIMA, caminha pelos corredores da escola, vai as aulas e SÓ levou um processo disciplinar, enquanto que o professor SÓ fez um traumatismo gravíssimo e SÓ se encontra ainda em recuperação.

O propósito desta página é então o seguinte e muito simples. Para que todos tomem conhecimento e todos se sensibilizem e protestem contra esta anormalidade típica deste país em que os meninos se acham acima da lei e das regras. Está na altura das criancinhas meterem na cabeça que têm de ser responsabilizadas pelos seus actos e punidas severamente aquando de actos GRAVES como este.

QUEREMOS O TOMÁS FORA DO LICEU, FORA DA ESB. A ESB não merece ter este tipo de alunos.

1 comentário:

João disse...

Algum tipo de punição terá que ter o aluno. Se é a expulsão ou outra medida, tem que ser a Escola a decidir. O problema parece ser que há uma cumplicidade por omissão dos órgãos dirigentes com a agressão. E quando alguém não assume as suas responsabilidades, o vazio acaba por ser preenchido por outros, muitas vez não da melhor maneira.