sábado, outubro 30, 2010

E siga a "vidinha"? Abram os olhos!


Como diz o povo, "à primeira todos caem, à segunda cai quem quer." E muitos professores, pelo que posso observar com amargura, insistem em "cair", em resignar-se, como se uma "Avaliação Docente" /ADD-- imposta à traição e com hipnose aparente dos representantes da classe, em "negociações" no mínimo estranhas-- fosse realmente legítima e promotora da melhoria do Ensino em Portugal.
Durante o Consulado de má memória de Maria de Lurdes Rodrigues, foi imposta, como se lembram, a divisão artificial dos Professores, colando a etiqueta pirosa de "Professor Titular" a uma parte do Corpo Docente", tentando criar ,assim, um grupo de "inspectores" substitutos, baratinhos e locais e, ainda por cima, através de critérios duvidosos e arbitrários.
Na altura, quase todos os professores que se viram de repente "transformados" em Titulares acederam por obediência a normas burocráticas e também por conselho dos sindicatos, na altura igualmente apanhados de boa-fé na rede ultra-legalista que a todos apertava. Boa parte assumiu esse "título" a contragosto,continuando o seu relacionamento normal e cordial com os colegas, não sabendo então o autêntico presente envenenado que lhes fora concedido. Outros houve, no entanto, que estrebucharam por não chegarem a titulares, ou que entraram em guerra pelos "pontos", ou que se envaideceram, subindo-lhes rapidamente a tóxica e triste "titularidade" aos neurónios.
E eis que nova Era, Era Alçada, chegou, por entre sorrisos encerados onde até os mais duros negociadores sindicais deslizaram, até ao trambolhão de mais um Acordo dúbio, a entregar os pescoços dos "Professorezecos" (na designação de um ex-secretário de Estado) à guilhotina de uma nova técnica de os impedir de progredir na carreira, sob o disfarce de rigorosa avaliação.
Acabaram os titulares, mas logo foram criados novos algozes, outra vez quase à força,de nome "Relatores" ("Delatores", em trocadilho para alguns), para observar e classificar colegas, numa estrutura piramidal e tentacular tão ao gosto das medidas "Tayloristas" até aí tricotadas pelas duas damas da tutela e seu séquito. Ou seja, mudaram apenas as moscas, ou o nome das moscas, para o processo continuar arbitrário, burocraticamente insano e impraticável em termos de justiça. Podemos imaginar também, no topo da pirâmide, os ministros da Educação que andam a destruir os seus sistemas de Ensino mundo fora, em untuoso beija-mão a um qualquer velho "Corleone", mentor de todo este labirinto legislativo.
Agora, com mais um congelamento de carreiras e de salário, sem prazo marcado, é com espanto que vejo colegas a debater mais ou menos ansiosos todas estas tarefas de objectivos individuais, de relatores e de aulas assistidas! Agora, tal como aquando da primeira entrega dos objectivos à traição da classe, observo tantos colegas subjugando-se ao que outrora contestavam, mais uma vez por sua própria e individual opção. Quando afinal seria de aproveitar o momento de, docentes de novo unidos, podermos dizer "BASTA!" a toda esta absurda ADD, que, como se pode ver (inclusivé através dos rankings das escolas...), em nada beneficiou o Sistema Educativo do País.
Deve ser, como se diz por aí, a tal capitulação medrosa em nome da "vidinha"...
Só que , desta vez, não tenham ilusões: nestes dias de fel, com a crise a levar-nos, portugueses e boa parte dos europeus, para o buraco da miséria, nem essa "vidinha" restará, se não formos unidos!
Alergia
(ilustrações mais uma vez gentilmente cedidas por uma amiga -(c)Outubro/2010, melhor dizendo, criadas mesmo para acompanhar este texto!)

Excelente filme animado sobre a necessidade de mudarmos o paradigma da educação


sexta-feira, outubro 29, 2010

J.S. Bach - Partita for solo violin no. 3 in E Major BWV 1006 Preludio


Numa época em que o fraco é regra, em que todos os apoios, educativos ou outros, são para estes mesmos, os mais fraquinhos, por natureza ou adaptação "inteligente" ao meio, pergunto eu, que será deste tipo de menino, este do video? Este é bom demais para a média "baixinha" generalizada. Em Portugal não podia sequer sobreviver... por cá o sistema não está feito para este tipo de meninos.

"COMUNICADO do Gabinete do 1º Ministro"

Imagem daqui
"Faz o Governo saber que, até nova ordem, tendo em consideração a actual situação das contas públicas e como medida de contenção de despesas, a luz ao fundo do túnel será desligada."
Recebido por e-mail!

quinta-feira, outubro 28, 2010

Quando a vida é um jogo

"Waiting for Superman"
Estreou documentário que arrasa ensino público nos EUA
27 09 2010
Estreou em algumas cidades norte-americanas, na última sexta-feira, o documentário que lança duras críticas ao sistema de ensino público nos Estados Unidos e que, por isso mesmo, está a dar que falar no país liderado por Barack Obama.

Realizado por Davis Guggenheim (“Uma Verdade Inconveniente”), “Waiting for Superman” segue as histórias de várias crianças que vêem o seu crescimento académico condicionado por um sistema de ensino público que decide o seu futuro como uma bola de bingo, lotaria, azar ou sorte.
A estreia da fita vencedora do último Festival Sundance no resto dos Estados Unidos está marcada para 8 de Outubro.
Rui Alexandre Coelho (publicado aqui )

(Reparem no pormenor da lista...)

O caminho faz-se caminhando ...

Se tens menos de 18 anos podes ... : |

Já não há pachorra ... é com grande ênfase que se noticia que vão ser criminalizados os actos xpto e depois em letras pequeninas (no fundo, pelo menos) pode ler-se que:
Haverá ainda diferenças tendo em conta a idade do agressor. No caso de ser menor, a punição nunca passará de “medidas tutelares educativas”. No caso de ser maior, e no tipo de violência mais grave, poderá implicar uma pena de prisão entre um a cinco anos. (Público)
Conclusão, fica tudo na mesma. Há poucos alunos no básico com 18 ou mais anos ... e esses serão as situações passiveis de serem consideradas graves. Diz a desalmada que essas poderão ser criminalizadas. Deve estar a pensar nos professores agressores ...

Imagem daqui
Não percebi a pena entre 1 e 5 anos. Mas não sei nada de Direito Penal ... Suponho que essa deve ser a pena máxima para pessoas com 18 anos que ainda estudem no EB ou Secundário ...

ADENDA - Afinal é a partir dos 16 anos ... sorry! Podem ler tudo aqui

Mas que injustiça!!!!!!!!!!!! Dirigentes sindicais, autarcas e deputados com progressão automática e efeitos retroactivos?

DIGAM-ME QUE PERCEBI MAL, POR FAVOR!!!
"Quem estava fora das escolas não podia ser avaliado, mas Isabel Alçada não só corrigiu a situação como veio agora permitir que os efeitos ocorram antes de eventuais "congelamentos".

© Margarida Az
Pouco mais de um mês depois de publicadas em Diário da República, as normas para a avaliação dos professores que entre 2007 e 2009 não se encontravam a dar aulas nas escolas (como dirigentes sindicais, autarcas e deputados) foram "clarificadas", em nota enviada às direcções das escolas pela Direcção-Geral de Recursos Humanos da Educação (DGRHE). Na prática, desta medida resulta que estes profissionais poderão ver já contabilizado aquele período de trabalho, o que nalguns casos pode ser determinante para a progressão na carreira antes de um eventual congelamento ditado pelo Orçamento do Estado. (...)"[CONTINUE A LER ESTA ESCANDALEIRA NO PÚBLICO ONLINE. EU, ESTOU ENJOADA!]

Redução e eliminação do abono família II

Novas tabelas publicadas hoje

Quem mantém direito a abono de família verá a prestação reduzir-se já a partir da próxima segunda-feira. No escalão mais baixo os cortes chegam aos 33,96 euros.

"De acordo com uma portaria hoje publicada em Diário da República, o abono passará a ter novos montantes, com consequências no bolso dos agregados familiares. No primeiro escalão e para uma família com um filho, a perda oscilará entre os 8,49 e os 33,96 euros, consoante a idade da criança.

Actualmente, uma família com um filho situada no primeiro escalão (isto é, com um rendimento mensal inferior ou igual a 209,61 euros) recebia 174,72 euros de abono caso a criança tivesses menos de 12 meses, ou 43,68 euros se tivesse mais de 36 meses.

O abono pago em Novembro já deverá chegar ajustado. Passará a ser de 140,76 euros para as crianças com menos de um ano e de 35,19 euros para as crianças acima desta idade.

As novas tabelas vêm na sequência de um diploma publicado na semana passada que eliminou a majoração e 25 por cento dada aos agregados nos escalões de rendimento mais baixos e acabou com o abono de família no 4º e 5º escalões. Além disso, o conceito de agregado familiar também foi alterado, o que reduzirá o universo de pessoas abrangidas pelos abono, mesmo nos escalões mais baixos."
Notícia em actualização | Fonte: Público | 28.10.2010 - 10:55 Por Raquel Martins

Corte nos abonos entra em vigor a 1 de Novembro


Trabalhar das 9h às 17h ... Sem TPC!!!

Os professores portugueses são brandos ... trabalham de manhã, à tarde e à noite, nas escolas e depois ainda levam TPCs para casa que lhes entram pelas noites, férias e pelos fins de semana a dentro ....
Imagem daqui
Juízes, magistrados do Ministério Público, funcionários judiciais e investigadores da Polícia Judiciária querem avançar com uma tomada de posição conjunta contra as medidas de austeridade anunciadas pelo Governo e pretendem avançar com uma “greve” às horas extraordinárias. O objectivo é recusarem-se “a trabalhar para além do horário de trabalho, ou seja, cumprir escrupulosamente o horário das nove às cinco”, explica António Marçal, dirigente do Sindicato dos Funcionários Judiciais. Durante esse período, garante, “trabalharemos com o máximo empenho e dedicação, mas trabalhar até às oito da noite ou mesmo até às duas da manhã, como tantas vezes acontece, isso não”. (Justiça vai trabalhar apenas das nove às cinco | Jornal de Negócios | Filomena  Lança)

quarta-feira, outubro 27, 2010

INFO | As reuniões intercalares não são reuniões de carácter ocasional


"É justa a queixa que se ouve mas ainda são pouco consequentes as acções que ela desencadeia. É preciso que os professores e educadores reajam em defesa do seu horário: é também uma questão de profissionalismo. É preciso que cada vez mais docentes passem do queixume nas conversas privadas, do moer de insatisfações perante a sobrecarga semanal, para a pressão que ajude a corrigir e inverter o insano caminho de sobrecarga que foi opção política de fundo na área da Educação.
As horas dos CT de Turma Intercalares não são reuniões de carácter ocasional. Posto isto, estas integram-se na componente não lectiva de estabelecimento nos termos previstos da alínea c) do nº3 do artigo 82º do ECD.Deste modo, há dois caminhos: ou pede-se a dispensa da componente não lectiva de estabelecimento ou solicita-se o pagamento de horas extraordinárias, visto que foram prestadas para além do horário normal de trabalho.


Colegas, passemos de forma crescente, do queixume à acção, actuando para corrigir o que está mal.

Façam o levantamento das horas que passaram/passam nos CT e coloquem a minuta que está no anexo deste-email.

S. B."

Clique nas imagens para ler e/ou descarregar

Recebido por e-mail. Obrigada Sofia!

Sem grande volta a dar ...

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) estimou hoje que entre “sete a oito mil” docentes, a grande maioria contratados, vão abandonar o sistema de ensino, em virtude das medidas de redução da despesa do setor da Educação. [leia a notícia completa aqui (Público online)]

Faz lembrar um célebre anúncio, em 2006 ...

@ Abnoxio
e um cartton de 2007, do Anterozóide


Em suma ...

Que exemplos damos às nossas crianças?

É claro que ao rever este vídeo e perante a conjuntura actual me interrogo sobre o tipo de influência que estas políticas e os políticos mais poderosos  terão nas novas gerações.


Obrigada, Teresa, pelo alerta!

Naaaa ... a criança não precisa de ser acompanhada ... : /

Mais casos isolados? Parece que a filosofia pegou e se estende ... Está tudo doido ... O que choca é que a escola é conivente! Raios partam esta gente!

"A mãe de um aluno do Centro Escolar da Régua e a Associação de Paralisia Cerebral de Vila Real pedem acompanhamento permanente. O aluno tem comportamento violento e imprevisível. O Agrupamento de escolas não pode, nem acha benéfico, destacar um funcionário, segundo a direcção, os desacatos são pontuais e os pais dos colegas compreendem a situação." (blogdocao)

Concentração/Vigília de protesto contra as medidas de austeridade em frente à Ass. da República ( dia 3 de Novembro)


CONCENTRAÇÃO/VIGÍLIA DE PROTESTO CONTRA AS MEDIDAS DE AUSTERIDADE
Local:FRENTE À ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA
Quarta-feira, 3 de Novembro de 2010 15:30

Dia 3 de Novembro será votado em Assembleia da República o OE que deixará a maioria dos portugueses em graves dificuldades financeiras.

Não vamos permitir que nos puxem a corda que há muito trazemos presa ao pescoço em silêncio, como cordeiros mansos.

Vamos juntar o nosso protesto frente à Assembleia da República, dia 3 de Novembro, numa vigília/concentração, com início a partir das 15.30H.

Porque não nos podemos calar.

Porque não podemos aceitar a morte lenta a que nos condenam.

Porque não nos podemos acomodar.

Tragam as vossas vozes, a vossa indignação e a vossa imaginação.

Assembleia da República
Palácio de São Bento, R. da Imprensa à Estrela, 1249-068 LISBOA


http://www.facebook.com/#!/event.php?eid=122363297820765

terça-feira, outubro 26, 2010

'Contratos a 3 € por hora'

A demolição da Escola Pública

Execrável e sem grandes comentários ...
A ministra da Educação confirmou ontem o objectivo de contratar mais auxiliares de educação e vigilantes. Os últimos concursos oferecem 3 euros à hora, em part-time. (CM)

«É negra a terra, é negra a noite, é negro o luar. Na escuridão, ouvi! há sombras a falar: »

(ver lista de escolas encerradas)

(publicado em O Pafúncio por kaótica)

O Cabrão de Boliqueime



Imagem do Kaos

Há uma coisa extraordinária que é o PS, ou o placebo no qual o PS se tornou, com o advento de Sócrates, poder ser, e parecer, insubstituível. Convenhamos que nem Maquivel teria uma receita para tal, mas era elementar: tornar um Estado tão próximo do deserto que qualquer alçar da perna, para uma mijadela contra a parede, logo parecesse uma fonte.

Onde mija um Sócrates português, mija um Passos Coelho e mais um Portas e mais uns dois ou três.

Devia haver, a bem da saúde pública, uma campanha de descontaminação, que impedisse que ex ministros, ex secretários de estado, ex gestores e presentes filhos da puta viessem para a televisão, com ar sofrido, compungido, e grave, apregoar receitas para desparasitar a piolheira que espalharam.
Na TVI, sempre inovadora nestas coisas, passa um programa que é abaixo de cão, onde umas gajas ordinárias, à mistura com uns rabetas tatuados, soltam uns lugares comuns elevadíssimos, ao nível da argumentação do Catroga, um dos quais que foi Ministro das Finanças, quando Cavaco vendia o País com deficites elevadíssimos, e desvios de fundos considerados como política de Estado, contra a argumentação do Teixeira dos Santos, um beiçanas, que parece saído do "Rapto da Serralho", mas em versão tragédia de Ésquilo.

Muito sinceramente, e começando pela conclusão, o que eu mais queria é que esses gajos se fodessem todos, e em fogo lento, para sentirem bem a tensão do que fizeram, porque, e nisto divergimos, eu, e mais uns quantos que costumam contra argumentar comigo, que a "Coisa" começou com o Cavaco, enquanto há quem afirme que o grande patriarca era o Soares.  Se calhar temos todos razão, e vou alinhar com eles, embora coloque o Cavaco à frente, ou seja, sempre que saio a terreiro, é para dizer que, muito antes de Sócrates, de Teixeira dos Santos, de Durão Barroso, ou de maleitas afins, há, e continua a haver, um mal maior, que aconteceu à Democracia Portuguesa, e que se chama Aníbal Cavaco Silva. Contra Cavaco, alio-me com o que vocês quiserem, até com a Cinha Jardim, com o Quim Barreiros, ou com a inocência do Carlos Cruz.

O enredo é simples, e muito ao nível do programa da TVI: entreter o pagode, sentando, à mesa, o máximo de figurantes, para fingir que o País inteiro, mais as suas "elites" de sarjeta, se conluiou, para tentar sair da Crise. Acontece que não há Crise nenhuma, o que há são décadas de gestão desastrosa, de uma canalha que, mais Bloco, menos Bloco, Central, transformou o Erário Público numa espécie de cabides para os amigos, com custos crescentes, produtividade ruinosa, e que agora, num enorme espetáculo mediático, nauseante, pouco imaginativo, e insultuoso para as pessoas, que como eu, e os meus leitores, ainda pensam, num espetáculo, dizia eu, de "patriotas", que estão a tentar salvar, a todo o custo, a gravidez de risco da Bancarrota que eles próprios emprenharam.
Podem tentar o que quiserem, porque já lhes tirei a fotigrafia: a melhor coisa que o criminoso pode fazer é vir, depois de consumado o ato, apoiar a mão no ombro da vítima, e vir-lhe propor ajuda e carinho. Eu quero que o carinho dos Silva Lopes, dos Ernânis Lopes, dos Catrogas, dos Cadilhes, do Mira Amaral, do Medina Carreira, e de todos os outros, cujos nomes vocês aqui vão pôr, SE FODA, porque eles não fazem parte da solução, antes foram as formiguinhas contribuintes, pela sua gestão desastrosa, para que o Estado chegasse ao ponto a que chegou, e não há salvação, pela imagem, que me impeça, mal irrompem pelos telejornais, de apontar o dedo, e dizer, imediatamente, "olha, mais um culpado pelo presente estado desta merda!..."

O PS, como comecei por dizer, safa-se sempre, porque entrou naquele olho do ciclone onde as brisas estão todas paradas: o Aníbal já não pode dissolver as Cortes; a Europa lincha-nos, se não dermos um sinal de que estamos realmente arruinados, e o descrédito político tornou-se, pela perversidade, uma barreira -- sol e sombra -- de proteção da tourada. Digamos que, em vez de separação de siameses, a máquina Gobbels do de Vilar de Maçada conseguiu criar um hipergémeo, inoperável, que berra, como um bezerro, e que temos de aturar todas as noites, com vontade de disparar contra a televisão: um "Orçamento", que aposta em exportações, quando, nos últimos anos só conseguimos exportar lixo, do calibre do Ferro Rodrigues, do Durão Barroso, da Carrilha e do Constâncio, é um delírio e uma aberração. 

Fácil era que isto conduzisse a um vandalismo, e rolassem, mas mesmo em tom literal de sangue, algumas cabeças pela rua, embora creia que, neste momento indómito e fatal, nos restem ainda algumas armas de legalidade, para abandalhar a coisa totalmente.

O PSD, cuja avidez de Poder é insaciável, sabe que este seria o momento mais complicado de intervir em cena, já que herdaria um nado morto, com faturas acumuladas e falidas. Beneficiando da situação, o Vigarista de Vilar de Maçada, e a sua Corja, que realmente já não querem governar, e se podem dar ao luxo de esticar a corda, ao ponto de isto se tornar um vomitório, tornaram-nos o Presente num Inferno, e anunciam o Futuro como um infernos dos infernos, talvez com Dona Adelaide a governar, com um Orçamento Jeová, e metas de execução económica e orçamental resumidas numa só linha, muito ao gosto das Testemunhas: "o Fim do Mundo vem aí", e logo acrescentar, muito orgulhosa, e beijando a fotografia do filho, dizendo, " e foi ELE que o trouxe".

Nos bastidores, e é preciso que isto seja dito, há uma lesma, geneticamente ligada a uma bomba de gasolina, que acha que o Palácio de Belém é um asilo, e que é lá que deve acabar os seus distúrbios neurológicos, ao lado da sua Maria, descambada e de pernas em forma de Arco da Rua Augusta, com o pescoço das chitas de costureira a separar-se cada vez mais do pescoço, tal a falha de Santo André, na Califórnia, e um horrível cheiro a ranço, nos grandes lábios.

"De Senectude", de Séneca, mas em versão de santaria do Norte, com as ronhas do Reyno dos Algarves.

O Sr. Aníbal, culpado mor desta choldra, o gajo que vendeu a Agricultura, desmantelou a Metalurgia, transformou a Indústria em guichés rápidos de importação do que os outros produziam, canalizou os Fundos para as mãos de gente reles, como Dias Loureiro, BPNs e porcarias afins, deu cabo das vias férreas, produziu estradas da morte, multiplicou clientelas, ensinou como o Estado se podia transformar num monstro e epigrafe apátrida do latrocínio, esse senhor, na sua miserável decadência física e mental, quer agora apresentar-se como um dom sebastião de teatro de revista, e gerir "silêncios", que é o modo mais sofisticado que encontrou, para manter a boca livre de perdigotos, agora que já não está na moda morfar fatias de bolo rei para os jornalistas.

Dizia eu que há o mau, e o mau do mau. Sempre que me sento, e penso no Zé da "Independente" e no Saloio de Boliqueime, penso sempre que Aníbal é um fracasso de uma era passada, um Dantas do tempo de Salazar, enquanto Sócrates é um palhaço do meu tempo. Invertam, os termos, se bem vos aprouver, mas acabarão por me dar razão.

A leitura moral deste desabafo é simples: a arma da Democracia é o protesto do voto. O protesto mais próximo do  voto, é neste instante, impedir o inevitável: que o desequilibrado neurológico de Boliqueime volte a entrar em Belém, o que me parece quase impossível, excetuado o Português, que nunca teria imaginação para tanto, lhe dar um duche de votos em branco. Hipótese ainda mais perversa, é a que ouço as minhas amigas tias dizerem à boca cheia: vão votar no Chico, do PCP, só para provocar estragos. Se acordar para aí virado, quem sabe se não farei o mesmo, para mandar à merda o Aníbal, o Bêbedo, e o soarista das Enfermeiras...

Quanto ao PSD, restava-lhe, se não estivesse enterrado nisto até ao pescoço, e a tentar escorar um Governo morto, que, se cair, lhe cai em cima, fazer uma coisa que ficava bem, e era Oposição civilizada: deixar para os incompetentes que fizeram este Orçamento o ónus total da sua aprovação. Era simples: quando se passasse à votação, levantavam-se em peso, e abandonavam a sala,  como fazia o Alegre, sempre que a coisa podia prejudicar-lhe a vaidade, deixando os restantes lacraus entregues a si mesmo.

Não custa sonhar. Sonhei, ao longo destas linhas. Amanhã, a realidade trar me á, de novo, ao pesadelo.

(Quinteto, de trompas em surdina, no "Arrebenta-SOL", no "Uma Aventura Sinistra", no "Democracia em Portugal", no "Klandestino" e em "The braganza Mothers")

segunda-feira, outubro 25, 2010

Agora a manobra (do fumo ou da poeira) é com os alunos com Necessidades Especiais

Imagem daqui com mais algum floreado

"Governo garante estudo acompanhado para alunos com «necessidades efectivas»"

Acho que seria mais lógico começarem por acompanhar verdadeiramente os alunos com Necessidades Especiais mas ... enfim ... querem começar, sempre, pelo telhado para que a cambalhota seja maior. E o pior é que as vítimas não são eles ...
"O Ministério da Educação assegurou, esta segunda-feira, que o «estudo acompanhado» vai continuar praticar-se nas escolas, embora apenas para alunos com «necessidades efectivas»". (A Bola)

'Ministério da Educação será o campeão dos contratos a prazo em 2011' por Eugénio Rosa

Divulgar este estudo é defender também o Estado Social em Portugal

Eugénio Rosa – Economista – Mais estudos disponíveis em www.eugeniorosa.com


RESUMO DESTE ESTUDO
A análise dos cortes das “remunerações certas e permanentes” por Ministérios (Serviços Integrados) revela que o mais afectado por esta medida do governo será o da Educação. Num corte total de 649,4 milhões €, 63,5% (412,5 milhões €) correspondem a cortes no Ministério da Educação. Seguem-se os Ministérios da Defesa Nacional (-65,8 milhões € e-10,1% do total);da Administração Interna (-59,2 milhões € e -9,1%) e do Ministério da Justiça (-44,5 milhões € e 6,9% do total).
Em contrapartida é também ao Ministério da Educação aquele a que é atribuída a quase totalidade da verba destinada a contratos a prazo. Num total de 175,155 milhões € atribuídos em 2011 a todos os Ministérios (SI) para contratos a prazo, 167,4 milhões €, ou seja, 95,5% do total é para o Ministério da Educação, o que só pode ser explicado pela elevadíssima precariedade existente, nomeadamente a nível dos professores. Aos restantes Ministérios, é atribuído a cada um, menos de 1% do total. Desta forma, o governo fomenta a precariedade num sector – o da educação – que é fundamental para o desenvolvimento do País, o que vai ter efeitos na rentabilidade e qualidade do ensino em Portugal, um sector onde os problemas já são muito graves.
Entre 2010 e 2011, o corte nas “remunerações certas e permanentes” nos Serviços Autónomos atinge 209,177 milhões €, sendo fortemente afectados a saúde e o ensino superior. Assim, do corte total – 209,117 milhões € – 42,95% é feito nos SFA da saúde (fundamentalmente no SNS) e 54,38% nos serviços do Ministério da Ciência e Tecnologia e Ensino Superior (fundamentalmente universidades e politécnicos). E isto porque os orçamentos do SNS, das Universidades e dos Politécnicos não estão incluídos nos dos Serviços Integrados mas sim nos dos Serviços e Fundos Autónomos. Tal como sucedeu em relação aos Serviços Integrados, em que área mais atingida pelos cortes é a educação, nos SFA os sectores mais atingidos são a saúde e o ensino superior, portanto todos sectores extremamente sensíveis e fundamentais para o bem-estar da população e o desenvolvimento do País. Se analisarmos as dotações para contratos a prazo nos SFA constantes do OE2011 concluímos que o total atinge 202,4 milhões €, sendo 59,6% daquele total atribuído ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e 33,5% ao Ministério da Saúde.
Portanto, nos ministérios em que é maior o corte nas “remunerações certas e permanentes” maior são também as dotações para contratos a prazo. É evidente que o corte nas remunerações e apromoção da precariedade nestes serviços da Administração Pública está a provocar um grande descontentamento dos trabalhadores. E só nos primeiros 9 meses de 2010, aposentaram-se 442 médicos, o que significou que, pelo menos, 663.000 portugueses ficarem sem médico. É também desta forma que se está a destruir o SNS, que Sócrates diz defender da destruição do PSD.
Para completar esta análise mais detalhada, interessa ainda referir que no Orçamento do Estado para 2011, a nível dos Serviços Integrados, o Ministério que tem maior “fatia” para “avenças” é a Presidência do Concelho de Ministros, com 85,3% do total, e a nível de despesas de representação os maiores aumentos verificam-se no Ministério da Defesa Nacional ( +207,5% do que em 2010), seguindo-se os ministérios da Administração Interna(+84,7%), da Educação
(+22,4%) e em Encargos Gerais do Estado (+16,34%).
Leia o estudo completo em   O ATAQUE AO ESTADO SOCIAL EM PORTUGAL

Primeiro estranha-se, depois entranha-se

Cartoon daqui

Conferência Internacional da educação crítica (International Conference on Critical Education)


Conferência Internacional sobre a educação crítica
(INTERNATIONAL CONFERENCE ON CRITICAL EDUCATION)
realiza-se a 12 e 16 Julho de 2011, em Atenas, Grécia
Aceitam-se, entretanto, incrições para participantes, assim como contribuições escritas de interessados em apresentarem os seus textos

Organização das revistas:
JOURNAL OF CRITICAL POLICY EDUCATIONAL STUDIES (UK)
CULTURAL LOGIC (USA/CANADA)
KRITIKI (GREECE)
RADICAL NOTES (INDIA)

Conference and Local Organizing Committee Coordinators:
Dave Hill, (Middlesex University, UK)
Peter McLaren, (UCLA, USA)
Kostas Skordoulis, (University of Athens, Greece)

Keynote Speakers:
Dave Hill, (Middlesex University, UK), Peter McLaren, (UCLA, USA), Ravi Kumar (Jamia Milia Islamia University, Delhi, India).

Participants should submit an abstract of 300 words by: 15 December 2010.
Notification of acceptance of paper presentation by: 15 January 2011.
Full papers should be submitted by: 30 May 2011.
The papers will be peer reviewed and published in the Conference Proceedings.

Conference Fee
The Conference fee is 300 Euros.
Participation of unemployed, and of colleagues from the third world is free/ no fees.

The Journal for Critical Education Policy Studies is a free e-journal published by The Institute for Education Policy Studies (IEPS)
http://www.jceps.com/

Institute for Education Policy Studies
http://www.jceps.com/
http://www.ieps.org.uk/

Slideshow 'a sinistra ministra' e algumas palavrinhas

Como não será difícil deduzir este blogue surge na sequência de um outro (qual será????), refiro-me obviamente ao 'a sinistra ministra' que acabou antevendo a queda do seu personagem central (valha-nos isso!) ... Na verdade, actualmente, 'a sinistra ministra' até está à deriva porque por circunstâncias anormais, se perdeu a sua administração e porque, quem lá está e o administra ou que pelo menos detém esses poderes, não se desbronca, leia-se, não se acusa, leia-se não diz quem é.

Tenho pedido, durante meses, aos presentes por lá que me digam se são administradores ... poucos (mas muito bons!) o fizeram. Assim formos saindo, um a um, e esperamos que todos saiam até ficar um ou dois e aí, será fácil deduzir quem é o patrão de algo que não criou. Enfim ... histórias da casa e o que interessa agora é que estamos infelizmente reunidos, o núcleo duro da Sinistra e outros membros, para continuar a tentar desmontar esta SAGA de ministras e polémicas da Educação em Portugal.

Para recordar tempos imemoriais de encontros e desencontros, fica um slideshow com fotos (há quase 3 mil fotografias no site FLICKR da sinistra ministra) desses anos, entre 2006 e 2008, anos em que nos dedicamos imensamente a registar o que se passava na rua quando os professores se juntavam em protesto e o Governo fazia orelhas moucas.


Até sempre!, leia-se até que esta ministra desalmada, que nem com o seu nome de baptismo assina, saia do Governo.

Para todos nós, a melhor das sortes. Uma coisa é certa, as desgraças têm algo de positivos i.e. a reunião de boas, excelentes pessoas, com quem vamos partilhando um percurso  e trocando alento e ânimo. 

Aos autores aqui presentes tal como para os amigos de sempre que nos vão lendo e deixando as suas opiniões e comentários, um enorme bem-haja.

: )

'Os gastos do Estado Português' | Revista Sábado

... mais do mesmo. É sempre bom partilhar porque pode haver quem ainda não tenha percebido que estamos perante o melhor desgoverno português desde que se diz sermos uma democracia ...

Documento colocado no Scribd por dontdolikeido

Boa malha, Portugal e portugueses!!! Estamos todos de parabéns :/

Bancarrota (o texto do Kaos tem a ver com o que se passa/continua a passar)

Ora ... com que então,
Portugal teve o terceiro menor crescimento económico do mundo na última década (6,47%), ganhando apenas à Itália (2,43%) e ao Haiti (-2,39%), numa lista de 180 países publicada pelo El País com base em dados do FMI. (DN)
Já na educação, o panorama é semelhante e já tem uns anos largos (por isso, não me venham falar em CRISE) como se pode ler aqui (site da Europa), em Parâmetros de referência europeus para a educação e a formação. Estes dados são relativos a 2002.

Depois, referindo-se a valores relativos ao espaço de tempo compreendido entre 2002 e 2008, tendo em conta a actualidade,
"O Conselho [Conselho Nacional de Educação] sublinha que, apesar de ter vindo a melhorar o nível de qualificação da população e a descer o de abandono precoce -- entre 2002 e 2008 a percentagem de portugueses entre os 20 e 24 anos que concluíram pelo menos o Ensino Secundário passou de 44,4% para 54,3% - , Portugal está ainda "a uma grande distância dos países da União Europeia", pelo que o Governo e toda a sociedade devem estar "atentos à capacidade de cumprir as metas europeias definidas para 2020" (Educare, 2010)

Assim, Portugal está multifacetadamente de parabéns e portanto, 'bora aí celebrar.  Só me resta dar parabéns ainda maior aos socialistas ...

Como é afinal? Não há concursos mas há concursos?

Imagem daqui
A propósito da extinção da Área de Projecto e do Estudo Acompanhado do currículo do Ensino Básico, pode ler-se em fim de duas 'disciplinas' deixa 5 mil docentes em risco que:
"A extinção das actividades da Área de Projecto e do Estudo Acompanhado, prevista na proposta de Orçamento do Estado (OE), vai fazer com que no próximo ano lectivo o Ministério da Educação precise de menos professores. Segundo as contas dos sindicatos, haverá menos cinco mil horários a concurso, o que se pode traduzir em menos cinco mil professores contratados. E mais cinco mil no desemprego." (DN)
Sublinhei a questão dos concursos porque não compreendo bem ... se não os vai haver, como é que ...
Acrescento ainda que tal abatimento vai criar muitos horários zero i.e. horários incompletos de professores dos quadros, seja lá o que isso significar hoje em dia. É o meu caso e de muitos outros docentes em situação similar (dos extintos quadros de escola). Assim, preparemo-nos para a hora do adeus e ... não fiquemos de braços cruzados à espera que as coisas melhorem.
Resta dizer que concordo plenamente com a extinção da Área de Projecto e do Estudo Acompanhado. Não concordo, contudo, com o peso de algumas disciplinas relativamente a outras.

Mais uma intervenção excelente da Ana Drago!

Com a devida autorização, passo a transcrever um e-mail recebido. A bold, a disponibilidade do Bloco para que o contactemos. Como se sabe, têm estado sempre connosco nesta batalha por uma educação digna!

E cá vai, também, o vídeo com a intervenção da Ana Drago.

Caro/a professor/a,

Na sequência da vinda da Ministra da Educação à Comissão de Educação e Ciência na quarta-feira passada, o grupo parlamentar do Bloco de Esquerda promoveu ontem na Assembleia da República um Debate de Actualidade sobre Políticas Educativas.

Entre as várias questões que motivaram esta iniciativa do Bloco, encontra-se naturalmente o anúncio por parte da equipa ministerial de que não haveria Concurso para docentes contratados em 2011.

Neste sentido, convido-vos a ouvirem a intervenção de abertura da deputada Ana Drago.

Não hesitem em nos contactar, se assim considerarem conveniente, com sugestões e propostas de iniciativas.

Com os nossos melhores cumprimentos,

Margarida Santos

Assessora do GP do Bloco de Esquerda para a Educação

Cortes orçamentais à la carte



O relatório do Orçamento de Estado para 2011 elenca, tipo cardápio, os cortes a fazer no Ministério da Educação:

- Redução do número de professores no ano lectivo 2010/2011.



- Alterações curriculares (eliminação da área projecto e do estudo acompanhado).


- Obrigatoriedade dos bibliotecários leccionarem 1 turma.


- Redução do financiamento para o "Programa Escolhas".


- Reformulação do programa de Educação para a Saúde.


- Reorganização do financiamento dos programas para o Plano Nacional de Leitura e a Rede de Bibliotecas Escolares.


- Reordenamento da Rede Escolar - redução dos encargos com os órgão de gestão.


- Alteração dos escalões para atribuição de adjuntos da direcção de escolas.


- Redução do crédito horário das escolas.


- Redução do número de horas de assessoria à direcção das escolas.


- Alteração das condições para dispensa da componente lectiva de coordenadores de estabelecimento de ensino.


- Redução das horas das equipas do Plano Tecnológico da Educação.


- Redução das situações de mobilidade para outras funções.


- Redução no orçamento de funcionamento das escolas.


- Redução nas despesas de funcionamento dos gabinetes ministeriais, serviços centrais e regionais.


- Livro Escolar: livros de exercícios nos computadores Magalhães e entrega dos livros escolares para poderem ser reutilizados.


- Redução da componente lectiva - trabalho nocturno


- Aplicação da con


dição de recursos à Educação.


- Redução das despesas de anos anteriores


A aplicação destas medidas trará uma poupança na ordem dos 288 milhões de euros, a que se juntará um corte adicional de 515 milhões nos vencimentos dos professores e restante pessoal. Este último valor representa 32,7% da verba de 1575 milhões de euros que o governo pretende cortar a todos os trabalhadores da função pública. Outro facto curioso, é que depois deste emagrecimento, as despesas com a educação em 2011 ficarão por uns modestos 3,6% do PIB.

(dados retirados daqui)

Ver também OE/2011

«Alevanta-te, Povo!» (Sebastião da Gama)

Foto daqui

Meu País Desgraçado

Sebastião da Gama

Meu país desgraçado!...
E no entanto há Sol a cada canto
e não há Mar tão lindo noutro lado.
Nem há Céu mais alegre do que o nosso,
nem pássaros, nem águas ...

Meu país desgraçado!...
Por que fatal engano?
Que malévolos crimes
teus direitos de berço violaram?

Meu Povo
de cabeça pendida, mãos caídas,
de olhos sem fé
— busca, dentro de ti, fora de ti, aonde
a causa da miséria se te esconde.

E em nome dos direitos
que te deram a terra, o Sol, o Mar,
fere-a sem dó
com o lume do teu antigo olhar.

Alevanta-te, Povo!
Ah!, visses tu, nos olhos das mulheres,
a calada censura
que te reclama filhos mais robustos!

Povo anêmico e triste,
meu Pedro Sem sem forças, sem haveres!
— olha a censura muda das mulheres!
Vai-te de novo ao Mar!
Reganha tuas barcas, tuas forças
e o direito de amar e fecundar
as que só por Amor te não desprezam!

http://www.astormentas.com/poema.aspx?id=6145&tp=&titulo=Meu+Pa%C3%ADs+Desgra%C3%A7ado

domingo, outubro 24, 2010

Blogosfera | Leituras e visionamentos recomendados



Visitem, leiam o que o

Redução e eliminação do abono família

Decreto-Lei n.º 116/2010

[Clique nas imagens para ampliar]

Catalisemos também nós um debate construtivo e enriquecedor das consciências

«Com a definição dos padrões de desempenho docente pretende-se contribuir para orientar a acção dos docentes, estimular a auto-reflexão, articular a avaliação do seu desempenho e catalisar um debate construtivo e enriquecedor sobre a profissão docente.» (ME)



Padrões de desempenho...se cada professor tinha o seu modo próprio de ensinar (ou não) isso agora deixou de interessar. O ME é quem estabelece os padrões e os professores limitam-se a desempenhar esses padrões como se fossem um mero guião. Assim nasceu o professor cumpridor... potencial candidato aos prémios de desempenho...

O ME, que é amiguinho dos professores em geral, quer apenas "contribuir para orientar a acção dos docentes" e estimular-lhes a auto-reflexão (oh, mas assim já não é AUTO-reflexão...!!!), não sendo desejáveis as avaliações de desempenho desarticuladas, já que o objectivo é catalisar (http://pt.wikipedia.org/wiki/Catalisador) um "debate enriquecedor sobre a profissão docente".

Aceitamos o desafio! Mesmo não sendo professores, mas ainda assim enquanto pais, somos (também) educadores e trabalhadores (ou meros desempregados), vamos então a esse debate enriquecedor tão desejado...
O que aqui está em causa, não são os meros formalismos burocrático-profissionais em que querem espartilhar a honrada profissão de quem é suposto transmitir cultura e conhecimento, embora isso bastasse para a revolta de quem ainda tem um pingo de ética.
Mas o que está aqui em causa é muito mais grave e diz respeito a todos nós professores e não professores. É o futuro dos nossos filhos que está a ser posto em causa. E não só através da destruição da escola pública, enquanto serviço público, equitativo e gratuito para formar cidadãos livres. Também pela destruição de uma ou mais gerações destinadas à precariedade e ao desemprego ou à subsídio-dependência. Mão de obra barata e inculta... carne para canhão... o sonho de poderem vir a ser alguém se puderem dar o salto... nem que seja para o Afeganistão... ou para a Grécia. Tantos anos perdidos a estudar, depois na faculdade já com os juros do empréstimo a acumular... e a licenciatura de Bolonha que não serve para nada e mais um empréstimo para o Mestrado para ser realmente licenciado... eles que vão pagar a crise da nossa crise...
Não, tudo menos ir dar aulas... já não basta o barulho das crianças e a genica que é preciso ter numa sala com 30 alunos com as hormonas destrambelhadas. ainda mais toda a carga burocrática que impede os professores de aperfeiçoarem e desenvolverem o seu trabalho?Investigação? Cá não há... só call centers. Só lá fora... para os que podem. E cada vez as famílias menos podem. Emprego? Não há, para licenciados é ainda mais difícil... ou vão dar aulas ou ficam desempregados de longa duração. Para o Estado é bom, já nem recebem subsídios... a não ser que queiram pertencer a qualquer coisa que os favoreça...
Tudo isto a que assistimos, estes cortes já estavam previstos voltaram em força com os ecos ensurdecedores da crise... mas a crise, na prática, só chega aos serviços públicos e aos bolsos das pessoas. A escola pública já enfraquecida vai enfrentar os cortes dos PECs sucessivos. No início do ano lectivo pais fechavam escolas por não terem segurança, por não terem pessoal auxiliar... e ainda se vão sentir muito mais as consequências. A nova fornada de professores que já não vai ter concurso para o ano vai sentir... as pessoas vão sentir em cada aumento, em cada perda de benefícios. Todos vão sofrer e haverá em Portugal ainda mais crianças com fome do que as que já há.
Mas os pais nunca se uniram aos professores quando estes alertaram para os ataques a que estavam a ser submetidas a escola pública e a sua profissão. E veio a ministra sorridente com ares de tia e só poucos viram nela mais uma sinistra ministra.
E os professores nunca passaram do portão da escola para a rua para dizerem àquelas famílias cada vez mais precárias e desestruturadas o que lhes ia acontecer ao futuro dos filhos.
Por isso ainda nada foi possível porque às vezes as coisas têm que bater tão no fundo para as consciências acordarem.

sábado, outubro 23, 2010

Tudo a mesma caldeirada!


Uma mais sisuda, outra mais sorrisos. Uma em entrevistas mórbidas, outra em mensagens de Ano Novo para "as criancinhas". Uma tipo carro de assalto, outra tipo carro alegórico, em esgares e olhos revirados. Uma não comparecendo às não-negociações, outra presente em falsas negociações. Mais do mesmo! Tudo a mesma caldeirada! E a Escola Pública Portuguesa a agonizar às suas mãos.
Mas alguns dos que nunca se deixaram iludir aqui estão, para dar luta e desmascarar farsas.
Longa vida a este blogue, pelo menos enquanto a Educação em Portugal precisar de nós!
Alergia
(Imagem/ilustração gentilmente cedida por uma amiga (c) 2009)

Bel'a Bolçada, a Sinistra Regorgitada

Imagem retirada Daqui

A Sinistra que se foi deixou-nos marcas profundas no corpo e na alma. Dela relembramos o ar malévolo quando falava dos professores.

Substituída por Bela, apareceu regorgitada. O estafermo continua lá, só que com um sorriso hipócrita nos lábios.

Por isso aqui estamos novamente, prontos a malhar, prontos a recomeçar uma luta, prontos a dizer BASTA!!!!

Novas Oportunidades para os professores?


O CNE pede consenso, estabilidade e investimento nos professores (Lusa / EDUCARE| 2010-10-21). Terá sorte? Leia-se um excerto:
"(...) O CNE diz que a sucessão de alterações normativas na carreira docente em todos os níveis de ensino tem "suscitado instabilidade na situação profissional" dos professores e na vida das escolas, "com repercussão nas aprendizagens dos alunos e na imagem social dos professores".

O organismo consultivo diz que importa valorizar a profissão docente, clarificar o seu mandato e reforçar a sua formação, "capacitando os docentes para fazerem face às transformações" decorrentes do processo educativo e da sociedade em geral.(...)" (idem)

Eis-nos!!!!!!

Vamos voltar EM FORÇA!!!!!!
Abreijos!!!!!!

quinta-feira, outubro 21, 2010